VISITAS!

CURTA O MUNDO REAL 21 NO FACEBOOK

MUNDO REAL 21 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!
NO ARMAZÉM PARAÍBA DE TIANGUÁ!

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET
REDENET TIANGUÁ - (88)3671-1144/9-9739-8777/9-9428-2616

segunda-feira, 31 de março de 2014

ESTES 10 CIENTISTAS AFIRMAM QUE DEUS EXISTE

O assunto de hoje é polêmico e gera um bom debate entre ateus e pessoas de fé, contudo ambos estão constantemente à espera de uma clara evidência para confirmar ou negar a existência de Deus. 

E é com base nesse argumento que vou compartilhar esta lista sobre teorias e testes realizados por cientistas de diferentes áreas que afirmam a existência de Deus, o Céu e o Inferno. Verdade ou não, cabe a cada um de nós acreditar ou não!

1 – O cientista que cavou o inferno na Sibéria e registou os gritos de almas condenadas (1989)
Segundo a lenda, em 1989, uma equipe de cientistas russos que operavam sob a direção do Dr. Azzacove, perfurou um buraco que tinha nove quilómetros de profundidade em um lugar sem nome na Sibéria, antes de romper em uma cavidade. Intrigado por esta descoberta inesperada, eles introduziram um microfone extremamente tolerante ao calor, juntamente com outro equipamento sensorial, no poço. 

Eles ouviram e gravaram (supostamente) os gritos atormentados de pessoas desesperadas. A segunda surpresa foi a alta temperatura que eles descobriram no centro da terra, que durou mais de 2.000 graus Fahrenheit. A conclusão foi de que havia aberto um buraco no inferno.

A história foi publicada pela primeira vez em 1990, pelo jornal finlandês Ammennusatia, um jornal publicado por um grupo de cristãos de Leväsjoki, uma cidade no oeste da Finlândia.

Os tablóides dos Estados Unidos logo correram a história e arquivos de som de gravações dessas supostas súplicas da maldita – começaram a aparecer em vários sites na Internet. Imediatamente, a Trinity Broadcasting Network (TNB) discutiu o clip de som em seus canais evangélicos, proclamando que o clip foi a prova definitiva da existência do inferno.

Idade Rendalen, um professor norueguês, ouviu a história sobre TNB, ao visitar os Estados Unidos. Desgostoso com o que percebeu ser ingenuidade em massa, Rendalen decidiu aumentar a notícia às custas da TBN. Rendalen escreveu à rede, originalmente, alegando que não acreditava na notícia, mas, no seu regresso à Noruega, supostamente iria ler um “relato factual” da história. 

De acordo com Rendalen, a “história”, afirmou não só que o poço maldito era real, mas que a aparição de morcego (uma representação pictórica comum de demônios, como na de Michelangelo, O Tormento de Santo António) subiu de fora antes de explodir um rastro no céu russo. 

Para perpetuar a sua farsa, Rendalen deliberadamente traduziu mal um artigo norueguês trivial sobre um fiscal da prefeitura e apresentou tanto o artigo norueguês original como a “tradução” em Inglês para a TNB. Rendalen também incluiu o seu nome verdadeiro, número de telefone e endereço, bem como os de um amigo pastor que sabia da farsa e tinha concordado em expô-la a quem a chamou busca de verificação.

Infelizmente, a Trinity Broadcasting Network publicou a história, sem contato com Renalden ou o pastor californiano e a falsa história de “Well to Hell hoax” apareceu na televisão, no rádio e em um grande número de publicações.

A história real é que a União Soviética tinha, de fato, um buraco de quase oito milhas de profundidade, Furo Kola Superdeep, localizado não na Sibéria, mas na península de Kola, que faz fronteira com a Noruega e a Finlândia. Ao completar o poço em 1989, algumas anomalias geológicas interessantes foram encontradas, embora não tivessem sido relatados encontros sobrenaturais. 

As temperaturas atingiram 180°C (360°F), fazendo a perfuração profunda proibitivamente cara. A gravação, no entanto, mais tarde, revelou ter sido uma parte inteligente remixada da trilha sonora do filme de 1972. Sangue de Barão, com vários efeitos acrescentados.

2 – O neurocientista, que afirmou que o céu existe depois de estar em coma durante uma semana (2008)
Em 2008, Eben Alexander III, um neurocirurgião de Harvard, sofreu uma meningite muito feroz que atacou seu cérebro e mergulhou-o profundamente em um coma de uma semana. 

As varreduras do cérebro mostraram que todo o seu córtex – as partes do cérebro que nos dão consciência, pensamento, memória e compreensão – não estavam funcionando. 

Os médicos deram-lhe pouca chance de viver e disseram a sua família que, se ele sobrevivesse, ele provavelmente teria o cérebro danificado para o resto de sua vida. Contra todas as probabilidades, o Sr. Alexander acordou uma semana depois de ter sido atingido.

Profundamente em coma, seu cérebro foi tão afetado que apenas as partes mais primitivas estavam trabalhando. Ele alegou que experimentou algo extraordinário: uma viagem para o céu.

Em seu livro autobiográfico O Paraíso Existe: Viagem de um neurocirurgião em vida após a morte, ele afirma que deixou seu corpo e teve uma experiência de quase morte.

Mr. Alexander afirma que há uma eternidade de esplendor perfeito que nos aguarda no além-túmulo, com anjos, nuvens e parentes falecidos.

A partir de 3 de Julho de 2013, O Paraíso Existe tem sido um Best Seller na lista do New York Times, durante 35 semanas.

Em uma ampla investigação da história de Mr. Alexander e antecedentes médicos, a revista Esquire relatou em sua edição de Agosto de 2013, que antes da publicação de O Paraíso Existe, o Mr. Alexander tinha sido rescindido ou suspenso de vários cargos em hospitais e tinha sido o objeto de vários processos de erro médico, incluindo pelo menos dois envolvendo a alteração de registos médicos para encobrir um erro médico. 

A revista também encontrou o que ele alegou serem discrepâncias em relação à sua versão de eventos no livro. Entre as discrepâncias, de acordo com um relato de um artigo na Forbes, “Alexander escreveu que entrou em coma em decorrência de meningite bacteriana grave e não tinha atividade cerebral superior, enquanto um médico que cuidou dele diz que o coma foi induzido e o paciente estava consciente, embora tendo alucinações.”

Mr. Alexander emitiu um comunicado após a publicação do artigo, afirmando que escreveu um relato fiel de suas experiências durante um coma.

O livro de Mr. Alexander e a campanha de publicidade têm sido criticados por cientistas, incluindo o neurocientista Sam Harris, que descreveu o relato EQM de Mr. Alexander (narrado em Newsweek, Outubro de 2012) como “alarmantemente não-científica” e “a prova que ele fornece para essa afirmação não é apenas insuficiente – sugere que ele não sabe nada relevante sobre a ciência do cérebro. ”

Em Novembro de 2012, Mr. Alexander respondeu aos críticos em um segundo artigo da Newsweek, alegando que os médicos lhe disseram que, de acordo com todos os testes cerebrais que estavam fazendo, não havia nenhuma maneira de qualquer uma das funções, incluindo a visão, a audição, a emoção, a memória, a língua ou a lógica, pudessem ter sido intactas.

É verdadeiro ou falso? Só você pode decidir.

3 – O estudante de Química que demonstrou que o Céu e o Inferno existem
De acordo com a lenda urbana, o que se segue é uma questão real, dada em um exame de Química numa Universidade de Washington.

A resposta de um aluno era tão “profunda” que o professor compartilhou com colegas através da Internet, o que, é claro, agora temos o prazer de desfrutar também.

Pergunta Extra: O inferno é exotérmico (liberta calor) ou endotérmico (absorve calor)?

A maioria dos alunos escreveu provas de suas crenças usando a Lei de Boyle (gás esfria quando se expande e se aquece quando é comprimido) ou alguma variante.

Um aluno, entretanto, escreveu o seguinte:

Primeiro, precisamos saber como a massa do Inferno está mudando com o tempo. Então, precisamos saber a taxa com que as almas estão se movendo para o inferno e a taxa em que elas estão saindo. Eu acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no inferno ela nunca mais sai. Portanto, não há almas saindo. Para termos noção de quantas almas estão a entrar no inferno hoje em dia, vamos dar uma olhadela a todas as religiões que existem no mundo hoje.

A maioria dessas religiões pregam que se você não for um membro de sua religião, você vai para o inferno. Há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não pertencem a mais de uma religião, podemos então concluir que todas as almas vão para o inferno.

Com as taxas de natalidade e mortalidade do jeito que estão, podemos esperar que o número de almas no inferno esteja a aumentar exponencialmente. Agora, olhamos para a taxa de mudança de volume no inferno, porque a Lei de Boyle diz que para a temperatura e a pressão no inferno serem as mesmas, o volume do inferno tem que se expandir proporcionalmente como as almas que são adicionadas. Isto dá duas possibilidades.

1. Se o inferno se expandir numa taxa menor do que a taxa com que as almas entram, então a temperatura e a pressão no inferno vão aumentar até ele explodir.

2. Se o inferno está se expandindo a um ritmo mais rápido do que o aumento das almas no inferno, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o inferno se congele.

Então, qual é?

Se aceitarmos o postulado que me foi dado por Theresa durante meu primeiro ano que “Vai ser um dia frio no inferno antes de eu dormir com você” e levarmos em conta o fato de que eu dormi com ela ontem à noite, então número dois tem que ser verdade e, portanto, tenho certeza de que o inferno é exotérmico e já congelado.

O corolário dessa teoria é que, desde que o inferno congelou, segue-se que ele não está aceitando mais nenhum almas e, portanto, está deixando apenas o céu, provando assim a existência de um ser divino que explica por que, ontem à noite, Theresa gritava “Oh, meu Deus”.

Claro, este estudante recebeu um A +.

4 – O professor de Medicina que afirmou ter encontrado esculturas feitas por Deus (1725)
Em 1725, o professor Johann Adam Bartholomeus Beringer, decano da Faculdade de Medicina da Universidade de Würzburg, encontrou muitas peças de calcário esculpidas em formas de lagartos, sapos, aranhas em suas teias, um pássaro com cara de peixe, sóis e estrelas no Monte Eibelstadt, na Alemanha. 

Alguns deles tinham inscrições com o nome hebraico de Deus em latim, árabe e caracteres hebraicos. Estas peças com formas peculiares, em sua opinião, eram pedras esculpidas pelo próprio Deus ao experimentar os tipos de vida que Ele pensou para criar.

Beringer também propôs várias explicações possíveis para os supostos fósseis, além de sua própria interpretação preferencial que, enquanto algumas destas pedras pudessem ser animais mortos (fósseis), a maioria era apenas “fabricações caprichosas de Deus.” Ele também considerou a possibilidade de que eles eram as esculturas dos pagãos pré-históricos, mas ele teve que descartar isso porque os pagãos não saberiam o nome de Deus. No entanto, essa evidência de esculpir só o convenceu mais fortemente que o cinzel foi empunhada pela mão de Deus.

Na verdade, ele foi vítima de uma fraude perpetrada por seus colegas, o ex-jesuíta J. Ignatz Roderick, Professor de Geografia e Matemática e Johann Georg von Eckhart, conselheiro privado e bibliotecário da universidade. Ao descobrir a verdade, Beringer levou os fraudadores ao tribunal e o escândalo que se seguiu deixou todos eles em desgraça.

Algumas das pedras estão agora em exposição no Museu da Universidade de Oxford e Teylers, na Holanda.

5 – Aposta de Pascal: Deus é, ou não é. Você deve apostar (século 17)

Aposta de Pascal é um argumento da filosofia de desculpas que foi concebido pelo matemático francês do século XVII, o físico e filósofo Blaise Pascal (1623-1662). Ele postula que os seres humanos todos apostam com suas vidas que Deus existe ou não existe. Dada a possibilidade de que Deus realmente existe e assumindo que o ganho infinito ou perda associada com a crença em Deus ou com a incredulidade, uma pessoa racional deve viver como se Deus existisse e deve procurar acreditar em Deus. Se Deus não existe realmente, essa pessoa terá apenas uma perdas finitas (alguns prazeres, luxo, etc.)

A filosofia utiliza a seguinte lógica:

1. Deus é, ou não é.
2. Um jogo está sendo jogado e cara ou coroa vai aparecer.
3. De acordo com o motivo, você não pode defender nenhuma das proposições.
4. Você deve apostar. (Não é opcional.)
5. Vamos pesar o ganho e a perda de apostar que Deus existe. Vamos estimar essas duas chances. Se você ganhar, você ganha tudo, se você perder, você não perde nada.

Historicamente, a aposta de Pascal foi inovadora porque traçou um novo território na teoria da probabilidade, marcou o primeiro uso formal da teoria da decisão e antecipou filosofias do futuro, como o existencialismo, pragmatismo e voluntarismo.

6 – A fórmula de Euler para explicar a existência de Deus (do século 18)
Leonhard Euler (April 15,1707 – 18 Setembro de 1783) foi um matemático suíço pioneiro e físico que fez importantes descobertas em campos tão diversos como o cálculo infinitesimal e teoria dos grafos. 

Euler também introduziu muito da terminologia matemática moderna e notação, em especial para a análise matemática, como a noção de uma função matemática e é conhecido pelo seu trabalho em mecânica, dinâmica de fluidos, óptica e astronomia. Ele passou a maior parte de sua vida adulta em São Petersburgo, na Rússia e em Berlim, Prússia.

Muito do que se sabe sobre as crenças religiosas de Euler pode ser deduzida a partir de suas Cartas a uma Princesa Alemã e um trabalho anterior, Rettung der Göttlichen Offenbahrung Gegen die Einwürfe der Freygeister (Defesa da Revelação Divina contra as objecções dos Livres-pensadores). Esses trabalhos mostram que Euler era um cristão devoto que acreditava que a Bíblia era inspirada, o Rettung foi principalmente um argumento para a inspiração divina da Bíblia.

Existe uma famosa lenda inspirada por argumentos de Euler com filósofos seculares sobre a religião, que é definida durante a segunda passagem de Euler na Academia de São Petersburgo. O filósofo francês Denis Diderot foi visitar a Rússia a convite de Chaterine, A Grande. No entanto, a Imperatriz ficou alarmada por os argumentos do filósofo para o ateísmo estavam influenciando os membros de sua corte, de modo que Euler foi convidado para enfrentar o francês. 

Diderot foi informado de que um sábio matemático havia produzido uma prova da existência de Deus e concordou em ver a prova como foi apresentada no tribunal. Euler apareceu, avançou para Diderot e num tom de perfeita convicção anunciou a seguinte fórmula: “Senhor, \ frac {a + b ^ n} {n} = x, portanto Deus existe” respondeu Diderot, para quem (diz a história) toda a matemática era jargão, ficou mudo com as gargalhadas que irromperam do tribunal. 

Constrangido, ele pediu para deixar a Rússia, um pedido que foi graciosamente concedido pela Imperatriz. No entanto, divertindo a anedota que pode ser, é apócrifo, dado que o próprio Diderot fez uma pesquisa em matemática.

Euler foi destaque na sexta série suíça de 10 francos de notas e em numerosos selos postais suíços, alemães e russos. O asteróide de 2002, Euler, foi nomeado em sua honra. Ele também é comemorado pela Igreja Luterana em seu calendário de santos, a 24 de Maio, já que ele era um cristão devoto (e crente na inerrância bíblica), que escreveu a apologética e argumentou energicamente contra os ateus proeminentes de seu tempo. Em 15 de Abril de 2013, 306 anos de Euler foram comemorados com o Google Doodle.

7 – O matemático que desenvolveu o Teorema de Deus (1931)
Kurt Gödel Friedrich era um austríaco e, mais tarde, americano, lógico, matemático e filósofo. Considerado, junto com Aristóteles e Frege, para ser um dos lógicos mais significativos da história humana, Gödel fez um enorme impacto sobre o pensamento científico e filosófico no século 20.

Gödel publicou seus dois teoremas da incompletude, em 1931, quando tinha 25 anos de idade, um ano depois de terminar seu doutorado na Universidade de Viena. O primeiro teorema da incompletude afirma que, para qualquer sistema axiomático recursivo auto-consistente, poderoso o suficiente para descrever a aritmética dos números naturais (por exemplo, a aritmética de Peano), existem proposições verdadeiras sobre os naturais que não podem ser provadas a partir dos axiomas. Para provar este teorema, Gödel desenvolveu uma técnica, agora conhecida como a numeração de Gödel, que codifica expressões formais em números naturais.

Ele também mostrou que nem o axioma da escolha, nem a hipótese do contínuo pode ser refutada a partir dos axiomas aceitos da teoria dos conjuntos, assumindo que estes axiomas são consistentes. O primeiro resultado abriu as portas para matemáticos assumirem o axioma de escolha em suas provas. Ele também fez importantes contribuições à teoria da prova, esclarecendo as conexões entre a lógica clássica, a lógica intuicionista e lógica modal.

Quando Gödel morreu em 1978, ele deixou para trás uma teoria tentadora com base em princípios da lógica modal, um tipo de lógica formal que, estritamente definida, envolve o uso das expressões “necessariamente” e “possivelmente”, segundo a Universidade de Stanford. Assim, o teorema diz que Deus, ou um ser supremo, não pode mais pode ser concebido. Deus existe na compreensão. Se Deus existe no entendimento, poderíamos imaginar que Ele é maior por existir na realidade. Portanto, Deus deve existir.

8 – O cientista que não encontra nenhum conflito entre ciência e fé religiosa (2007)
Durante uma entrevista da CNN, em Abril de 2007, em Rockville, Maryland, Francis S. Collins & MD Ph.D., diretor do Projeto Genoma Humano, reafirma que a informação incorporada no ADN prova a existência de Deus.

Conforme o diretor do Projeto Genoma Humano, ele liderou um consórcio de cientistas para ler os 3,1 bilhões de letras do genoma humano. Como um crente, o Dr. Collins vê o ADN – a molécula de informações de todos os seres vivos – como a linguagem de Deus e na elegância e complexidade dos corpos e o resto da natureza, como um reflexo do plano de Deus. 

No entanto, ele nem sempre abraçou estas perspectivas. Quando era um estudante de pós-graduação em Físico-Química na década de 1970, ele era um ateu, não encontrando razão para postular a existência de qualquer verdade fora da matemática, física e química. Então ele foi para a faculdade de medicina e se deparou com questões de vida e morte nas cabeceiras de seus pacientes. Desafiado por um desses pacientes, que perguntou: “O que você acha, doutor?”, Começou a procurar por respostas.

Em sua mente, o Dr. Collins admitiu que a ciência, que ele tanto amava, era impotente para responder às seguintes perguntas: “Qual é o sentido da vida?”, “Por que estou aqui?”, “Por que a matemática funciona, afinal?”, “Se o universo teve um começo, quem o criou?” “Por que as constantes físicas no universo são tão afinadas para permitir a possibilidade de formas de vida complexas?”, “Por que os seres humanos têm um senso moral?” e “O que acontece depois da morte?”

Dr. Collins sempre assumiu que a fé foi baseada em argumentos puramente emocionais e irracionais e foi surpreendido ao descobrir, inicialmente nos escritos do académico de Oxford, CS Lewis e, posteriormente, a partir de muitas outras fontes, que se pode construir um caso muito forte para a plausibilidade da existência de Deus por motivos puramente racionais.

Na verdade, o Dr. Collins diz que não encontra nenhum conflito aqui. Sim, ele também afirma que a evolução por descendência de um ancestral comum é claramente verdade. Ele afirma que, se havia alguma dúvida persistente sobre a evidência do registo fóssil, o estudo do ADN fornece a mais forte prova possível do nosso relacionamento com todos os outros seres vivos.

De acordo com as palavras de Dr. Collins, ele descobriu que há uma harmonia maravilhosa nas verdades complementares da ciência e da fé. O Deus da Bíblia é também o Deus do genoma. Deus pode ser encontrado na catedral ou no laboratório. Ao investigar majestosa e impressionante a criação de Deus, a ciência pode realmente ser um meio de adoração.

9 – Os cientistas de computador que supostamente provam que Deus existe (2013)
Em Outubro de 2013, dois cientistas, Christoph Benzmüller, da Universidade Livre de Berlim e seu colega, Bruno Woltzenlogel Paleo, da Universidade Técnica de Viena, formalizaram um teorema sobre a existência de Deus, que foi escrita pelo matemático austríaco Kurt Gödel.

Usando um computador MacBook comum, eles têm mostrado que a prova de Gödel foi correta, pelo menos em um nível matemático, por meio de maior lógica modal.

Em sua apresentação inicial em um servidor de pesquisa “Formalização, Mecanização e Automação de prova da existência de Deus de Gödel”, a par de dizer que “a prova ontológica de Gödel foi analisada pela primeira vez com um grau de detalhe sem precedentes e formalidade com a ajuda de provadores de teoremas de ordem superior. ”

Mas surpreendentemente, há uma ressalva bastante significativa para essa afirmação. Na verdade, o que os pesquisadores em questão dizem ter realmente comprovado é um teorema que foi apresentado pelo renomado Gödel e a verdadeira notícia não é sobre um Ser Supremo, mas sim o que agora pode ser alcançado em campos científicos utilizando tecnologia superior . Os matemáticos dizem que a sua prova de axiomas de Gödel tem mais a ver com demonstrar como a tecnologia superior pode ajudar a trazer novas conquistas na ciência.

Benzmüller e Paleo acreditam que seu trabalho pode beneficiar áreas como inteligência artificial e verificação de software e hardware.

Em última análise, a formalização da prova ontológica de Gödel é improvável para conquistar muitos ateus, nem é provável para confortar os verdadeiros crentes que podem argumentar que a ideia de um poder superior é aquele que desafia a lógica, por definição. No entanto, para os matemáticos que procuram maneiras para abrir novos caminhos, talvez a notícia possa representar uma resposta às suas orações.

10 – O neurologista que afirmou que as experiências de quase-morte, na verdade, podem acontecer (2013)
Embora essas linhas não mencionem as declarações precisas sobre a existência do céu ou do inferno, não quero perder a oportunidade de mencionar este artigo sobre as experiências de quase-morte.

Um estudo científico revelou que as experiências de quase-morte, como ver uma luz brilhante,viajar através de um túnel ou a sensação de deixar o seu próprio corpo são mais vivas do que qualquer outra memória.

Segundo o Dr. Steven Laureys, um neurologista belga, que lidera o Grupo de Ciência de Coma, no hospital universitário, na cidade de Liège (Bélgica), falou com muitos pacientes ao longo dos anos que despertaram de um coma e lhes contaram sobre “viagens” a que eles foram durante a experiência de quase-morte.

A equipe, que era composta por cientistas do Grupo de Ciência de Coma e Psicologia Cognitiva do University Research Uni, realizaram questionários de memória, que testavam os detalhes sensoriais e emocionais em lembranças. Eles então compararam experiências de quase-morte com outras memórias de eventos da vida real intensos, bem como lembranças de sonhos e pensamentos. No entanto, os cientistas ficaram surpresos ao descobrir que as experiências de quase-morte eram muito mais ricas do que qualquer outro evento imaginado ou real, incluindo nascimentos e casamentos.

Em 10 de Abril de 2013, Dr. Laureys disse à CNN que os pacientes em terapia intensiva muitas vezes têm medo de contar suas histórias de experiências de quase-morte, pois eles têm medo de que as pessoas não levem a sério, mas as pessoas que vão nas viagens podem ser mudado para sempre, ao já não temerem a morte.

O questionário pergunta aos sobreviventes sobre o quão certos eles estão de que uma experiência relembrada foi um evento real. Dr. Laureys, que acredita que as experiências se originam na fisiologia humana, disse: “Eles (os doentes) estão muito convencidos de que é real.”

Também foi descoberto que é suficiente apenas pensar que você está morrendo para ter a memória de uma experiência de quase-morte.

O estudo disse: “Muitas pessoas que tiveram EQM não estavam fisicamente em perigo de morte, sugerindo que a percepção do risco de morte, por si só, parece ser importante para provocar as EQMs.”

Laureys não quer especular sobre a existência de céu ou inferno, mas ele diz que apenas uma pequena minoria de experiências de quase-morte são horríveis. A maioria delas é agradável e edificante. A partir de suas contas, parece que mais pessoas vão para o céu do que para o inferno.”

AUTOR: ODDEE/VIA AH DUVIDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE

Todos os comentários postados neste Blog passam por moderação. Por este critério, os comentários podem ser liberados, bloqueados ou excluídos. O MUNDO REAL 21 descartará automaticamente os textos recebidos que contenham ataques pessoais, difamação, calúnia, ameaça, discriminação e demais crimes previstos em lei. GUGU

VEJA TAMBÉM Plugin for WordPress, Blogger...

ME SIGA NO TWITTER!