VISITAS!

CURTA O MUNDO REAL 21 NO FACEBOOK

MUNDO REAL 21 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!
NO ARMAZÉM PARAÍBA DE TIANGUÁ!

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET
REDENET TIANGUÁ - (88)3671-1144/9-9739-8777/9-9428-2616

terça-feira, 8 de abril de 2014

STAN LEE: 91 ANOS DE PERSONAGENS ICÔNICOS DOS QUADRINHOS PARA O MUNDO

No dia 28 de dezembro de 1922, nascia um homem que mudou a vida de muitas pessoas. Stanley Martin Liber, mais conhecido pelo mundo inteiro como Stan Lee, nasceu em Nova Iorque, durante a recessão norte-americana e é hoje o herói de muita gente.

Vida e obra

Vindo de uma família judia do Bronx, Stanley trabalhou mesmo quando criança (alô conselho tutelar!) para ajudar na renda familiar e assim, de emprego temporário em temporário, Stanley achou um emprego em uma editora de história em quadrinhos, a Timely Comics. 

Depois de um tempo de estagiário, buscando tinteiros e outras coisas para os dois escritores, os chefes confiaram a ele uma estória de duas páginas do Capitão América e ele escreveu sua primeira estória, “A Vingança do Traidor”. 

Depois de um tempo, os dois editores e desenhistas, Jack Kirby e Steve Ditko, saíram da empresa e o dono da companhia, ao ver um estagiário fazendo todo trabalho, nem pensou duas vezes: Stan Lee virou o diretor de criação, roteirista e editor do Capitão América aos 18 anos.
Durante a Segunda Guerra Mundial, Stan Lee quis servir ao exército, afinal, ele trabalhava criando histórias nas quais seus heróis lutavam contra Hitler o tempo todo. 

Quando já tinha idade certa, ele foi aprovado como dramaturgo e tinha que escrever manuais, slogans, filmes de treinamento e pequenas revistas sobre os problemas que assolam os soldados, como “Doenças Venéreas? Não em mim” (glamour kd). 

Quando acabou a Segunda Guerra, Stan Lee voltou para Nova Iorque e lá voltou a trabalhar na mesma editora que trabalhava, mas agora ela tinha trocado de nome e se chamava Marvel Comics.

Maluco e animado, Stan Lee era o diretor de criação que todo mundo queria ter. Se inspirava no cinema mudo para fazer com que os personagens tivessem as reações certas em cada quadrinho. Assim, as HQs tinham mais momentos dramáticos, com golpes maiores e vilões mais icônicos. 

Stan tinha um método que rendia uma revista inteira em um dia: ele escrevia a história completa em umas duas páginas; os desenhistas então, tinham total liberdade para representar o roteiro criado em imagens. Com os quadrinhos prontos, Lee aprovava (ou não) e colocava as falas em cada imagem. Assim, cada ilustrador também co-criava as histórias.
O chefe que todo mundo queria ter

Nem tudo foi um mar de rosas. Se hoje parte da imprensa culpa os jogos violentos por assassinatos (como se Harvest Moon criasse fazendeiros e Lego, engenheiros), na época, as histórias em quadrinhos eram a principal vilã dos jovens. Todos os jovens delinquentes conheciam as HQs e isso fez com que Stan Lee deixasse de se intitular Diretor de Criação da Marvel para apenas “escritor”. 

Toda sua equipe foi demitida e ele começou a fazer HQs para crianças, com contos aprovados pelo Comics Code Authority, uma associação liderada por um psicólogo e um senador que realizava a censura das revistas e proibia todo e qualquer tipo de violência, cenas sensuais e tudo aquilo que uma boa história tem que ter. 

Stan Lee pensou em se demitir, mas antes, resolveu fazer uma história – junto com Jack Kirby que tinha voltado para a Marvel – em que contasse tudo aquilo que ele queria contar, porque, no pior dos males, ele seria demitido então não tinha nada a perder. Para competir com a Liga da Justiça da DC, eis que surge o Quarteto Fantástico, em 1961.

Com essas histórias, Stan Lee usou sua “veia dramaturga” e começou a aprofundar os personagens, colocando personalidade, textura e reflexões. Não eram mais bonequinhos na luta contra o mal, eram heróis com dúvidas e incertezas, morando em Nova Iorque, para facilitar a criação, o que os tornou ainda mais reais.. E assim, a Marvel superou a DC em volume de vendas e, durante a década de 60, Stan Lee criou todos aqueles personagens que conhecemos: Iron Man, Spider-man, Hulk, Silver Surfer, Nick Fury…
Com grandes poderes vem grandes responsabilidades

Os personagens de Stan Lee refletem muito dele mesmo e de seus gostos. Hulk é uma mistura de Jack & Hyde com Frankstein e o Homem Aranha tem em Peter Parker muito da juventude do próprio Stan Lee. 

Os poderes do Homem-Aranha existem porque voar, ser forte e tudo o mais já eram poderes dos outros personagens. Dessa forma, Stan Lee decidiu que ele teria poderes de insetos e que a culpa da morte do tio Ben seria um de seus carmas. 

Os X-Men foram criados quando as tentativas de adoção de um bebê por sua esposa eram inúteis. Todos os bebês eram negados por conta da mistura de religiões do casal( ele é judeu e ela, católica). E, nesse mundo de diferenças religiosas e de raças, Stan Lee criou os mutantes que lutariam por um mundo igual.

Stan Lee queria que as HQs não fossem consideradas “coisas de crianças” e sim, fosse um novo tipo de mídia, de entretenimento. Decidiu em uma de suas viagens para palestras em universidades que ficaria em Los Angeles e ajudaria a criar filmes, seriados e desenhos sobre seus personagens. Infelizmente, a tecnologia da época não permitia muito de seriados e filmes, então esse projeto ficou em stand by.
DAORA os seriados antigos

Até que, na fim da década de 90 começou a produção para um filme do Homem-Aranha. Stan Lee disse em diversas entrevistas o quanto ele adora Tobey Maguire, afinal, ele incorporou um personagem que significa muito para Stan e começou uma era nova no cinema: 

a era Marvel no início da década 00, com os personagens dele ganhando as telonas, como: Hulk, O Quarteto Fantástico, Capitão América, X-Men, O Homem de Ferro. E podem ter certeza de uma coisa: ver os personagens ganhando vida nos cinemas é uma alegria para Stan Lee. 

Tanto é que ele participa atuando na maioria dos filmes da Marvel!

Com 322 personagens criados e aos 90 anos, Stan Lee continua criando e trabalhando por conta de um motivo simples: ele ama o que faz e ficar aposentado seria uma tortura para ele. Não pensem que ele é um velhinho desligado do mundo digital. Ele tem twitter oficial, Página do Facebook e planeja entrar de vez no mundo da internet com a sua empresa de marketing e publicidade de heróis, com um projeto de fazer um game, a Pow! Entertainment.

Como disse em sua fala em Spiderman 3, “uma pessoa pode realmente fazer a diferença”. Obrigado, Stan Lee. Você, com toda certeza faz a diferença em nosso mundo!

AUTOR: garotasgeeks.omelete.uol.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE

Todos os comentários postados neste Blog passam por moderação. Por este critério, os comentários podem ser liberados, bloqueados ou excluídos. O MUNDO REAL 21 descartará automaticamente os textos recebidos que contenham ataques pessoais, difamação, calúnia, ameaça, discriminação e demais crimes previstos em lei. GUGU

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ME SIGA NO TWITTER!