VISITAS!

CURTA O MUNDO REAL 21 NO FACEBOOK

MUNDO REAL 21 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!
NO ARMAZÉM PARAÍBA DE TIANGUÁ!

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET
REDENET TIANGUÁ - (88)3671-1144/9-9739-8777/9-9428-2616

domingo, 14 de agosto de 2016

8 MAIORES ESCÂNDALOS E TRAGÉDIAS DAS OLIMPÍADAS

O Brasil inteiro está tomado pelo clima de Jogos Olímpicos que acontecem no Rio de Janeiro. Os olhos do mundo inteiro estão voltados para as competições durante o dia inteiro em competições individuais, por equipe, masculinas e femininas. 

O tradicional evento que acontece de 4 em 4 anos, finalmente chegou ao Brasil e trouxe o espírito Olímpico carregado de energia para o nosso país.

Na longa história dos Jogos Olímpicos, porém, nem só por alegrias os eventos entraram para a história. Às vezes, até mesmo eventos não diretamente ligados ao esporte deixaram a sua marca durante a competição. Atletas que perderam medalhas ou a oportunidade de participar das Olimpíadas e motivos políticos afetando o desenrolar dos jogos.

Confira alguns dos maiores escândalos que marcaram a história dos Jogos Olímpicos, dentro e fora das competições.

1 – Suborno no Comitê Olímpico Internacional
Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 foram realizados em Salt Lake, Utah, nos Estados Unidos. Três anos antes disso, em 1999, o Comitê Olímpico Internacional (COI) viveu um escândalo que abalou sua reputação. Foi revelado que alguns membros do comitê receberam suborno em quantias de dinheiro para garantir o voto à Salt Lake como sede dos jogos. Quando o esquema foi revelado, funcionários foram afastados, mas já era tarde para mudar a localização das arenas e ginásios para a realização dos jogos. Desde então, o COI luta para evitar um novo escândalo e recuperar a integridade de sua reputação.

2 – Ataque nos jogos de Atlanta
Em 1996, durante os Jogos Olímpicos de Atlanta, a explosão de uma bomba atingiu o Centennial Olympic Park, localizado próximo à vila olímpica. A violenta explosão deixou dois mortos e 112 feridos. Os jogos continuaram, apesar do ataque e foi feito um minuto de silêncio em todos os eventos daquela Olimpíada. O segurança Richard Jewell, que trabalhava como segurança no evento foi apontado como principal suspeito do ataque. Depois de investigações, foi concluído que ele era inocente e o ataque foi atribuído a Eric Robert Rudolph, que já havia realizado ataques em uma clínica de aborto e um bar frequentado por homossexuais. Atualmente, Eric está detido, cumprindo pena de prisão perpétua.

3 – Ataque à Nancy Kerrigan
Nos jogos de inverno de 1994, as atletas Nancy Kerrigan e Tonya Harding eram rivais na modalidade de patinação artística. Antes dos jogos de Lillehammer, na Noruega, Tony e seu marido, Jeff Gillooly, orquestraram um ataque à Nancy para evitar que ela conseguisse competir. Jeff e outros dois homens conseguiram ferir a patinadora durante a disputa de um campeonato de patinação nos Estados Unidos. Tonya arruinou sua reputação e foi banida de eventos de patinação. Nancy Kerrigan conseguiu se recuperar a tempo da Olimpíada e conseguiu conquistar a medalha de prata na competição.

4 – Boicote aos jogos de Moscou
Na década de 80, o tenso clima de Guerra Fria tomava conta do mundo. Com a invasão dos soviéticos ao Afeganistão, em 1979, diversas nações condenaram a invasão e decidiram boicotar o evento. Atletas de 80 países foram obrigados a jogar os seus sonhos fora depois que os líderes decidiram cancelar a participação no evento para protestar contra a invasão. Apenas 67 países participaram dos jogos e os atletas da União Soviética atropelaram os adversários, com a conquista de 80 medalhas de ouro.

5 – Massacre de Munique
O Massacre de Munique aconteceu no dia 5 de setembro, durante as Olimpíadas de 1972. Na ocasião, um grupo palestino de nome Setembro Negro invadiu a Vila Olímpica e rendeu membros da delegação de Israel. O grupo pedia a libertação de 200 prisioneiros palestinos mantidos em prisões do país rival. Israel não atendeu o pedido e os terroristas pediram um avião para poder ir embora para Cairo, no Egito. Os alemães concederam o pedido, mas receberam os palestinos a tiros. Como resposta, um dos terroristas lançou uma granada no avião em que estavam os reféns, matando todo o grupo e o piloto da aeronave.

6 – Saudação Black Power
Os Jogos Olímpicos de 1968 foram realizados na Cidade do México. Durante a premiação da prova de 200 metros livres, do atletismo, dois atletas americanos negros estavam no pódio: Tommie Smith, vencedor da medalha de ouro, e John Carlos, com a medalha de bronze. Na premiação, os dois atletas levantaram os punhos cerrados, gesto conhecido por ser uma saudação Black Power, movimento que lutava pelos direitos e interesses de negros, principalmente nos Estados Unidos. A saudação causou reações controversas e não foi bem vista pelo COI, que tentou punir os atletas.

7 – Hitler nos Jogos Olímpicos
Em 1936, nas Olimpíadas de Berlim, Adolf Hitler esteve presente em diversas arenas e ginásios durante eventos olímpicos. Durante uma disputa de atletismo que o ditador alemão assistia, o atleta Jesse Owens derrotou adversários alemães e ganhou quatro medalhas de ouro. Hitler se recusou a premiar o atleta, que era negro. Apesar da rejeição do líder alemão, Jesse Owens foi premiado com as medalhas que conquistou e Hitler, em protesto, deixou a arena onde aconteciam as competições.

8 – As medalhas de Jim Thorpe
Em 1912, nos jogos de Estocolmo, o atleta Jim Thorpe se destacou ganhando as medalhas de ouro nas modalidades Pentatlo e Decatlo. No ano seguinte, no entanto, o COI decidiu retirar as medalhas de Thorpe, que foram anuladas. Isso porque o jogador tinha um contrato como jogador profissional de beisebol nos Estados Unidos e, naquela época, atletas profissionais eram proibidos de participar dos Jogos Olímpicos. Apenas 30 anos após a morte de Thorpe, o em 1983, o COI restituiu as medalhas do atleta e as entregou para sua família.

Por mais que parece estranho, nem só de esportes vivem as Olimpíadas, como percebemos. Ao menos o espírito Olímpico ainda ganha mais destaque do que os escândalos e, no Brasil, estamos imunes a essas denúncias, por enquanto.

AUTOR(ES): History of the Olympics, QG, Brasil Escola
IMAGENS: SCMP, QG, ABC News, CNN, Black History Month, Black Time Travel, Real Clear Sports, Times of Israel, BBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE

Todos os comentários postados neste Blog passam por moderação. Por este critério, os comentários podem ser liberados, bloqueados ou excluídos. O MUNDO REAL 21 descartará automaticamente os textos recebidos que contenham ataques pessoais, difamação, calúnia, ameaça, discriminação e demais crimes previstos em lei. GUGU

VEJA TAMBÉM Plugin for WordPress, Blogger...

ME SIGA NO TWITTER!