VISITAS!

CURTA O MUNDO REAL 21 NO FACEBOOK

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!

AQUI VOCÊ ENCONTRA SEMPRE AS MELHORES OFERTAS!
NO ARMAZÉM PARAÍBA DE TIANGUÁ!

MUNDO REAL 21 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET

O SEU MELHOR PROVEDOR DE INTERNET
REDENET TIANGUÁ - (88)3671-1144/9-9739-8777/9-9428-2616

sábado, 3 de maio de 2014

CONHEÇA 4 HISTÓRIAS TÍPICAS DE FILMES DE TERROR QUE FORAM BASEADAS EM CASOS REAIS

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Os filmes de terror estão repletos de histórias com casos sinistros, sejam demoníacos, com presença de espíritos, assassinos loucos ou muitos outros tipos de seres assustadores. 

Felizmente, essas histórias são criadas pela imaginação dos criativos roteiristas de Hollywood – ou não. Medo! Muitos dos enredos dos filmes de terror tiveram algum tipo de inspiração em casos reais – claro, com as devidas alterações aqui e ali para deixar as histórias mais interessantes para o grande público. 

Veja alguns dessas lendas reais que invadiram os filmes:

1 – Robert The Doll e Chucky
Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

O clássico filme “Brinquedo Assassino”, de 1988, é lembrado hoje por muitos adultos como um dos filmes aterrorizantes da década de 80. A mãe de um menino dá para um filho um boneco de presente, que depois é revelado estar possuído por um serial-killer e faz coisas erradas para culpar o pobre menino. O resultado? Bem, o nome do filme já diz.

Acontece que esse enredo é parcialmente baseado em uma história que ocorreu no começo de 1900 em Key West, na Flórida. O solitário menino Gene Otto ganhou de seus pais um boneco em tamanho real, feito especialmente para ele. 

Gene o nomeou de Robert e passou a ficar bastante tempo com o brinquedo, vestindo-o como ele próprio, dormindo com ele e fazendo com que o boneco se sentasse com a família no momento das refeições.

Uma vingança em forma de maldição

A lenda diz que as coisas ficaram esquisitas quando uma das empregadas da família Otto se irritou com os patrões por ser tratada injustamente, e que por isso lançou um feitiço vodu para o boneco ganhar vida (algo semelhante ao que ocorreu com Chuck). Depois disso, os pais de Gene Otto o ouviam conversar com Robert e o boneco respondê-lo com um timbre de voz sinistro. Além disso, objetos na casa começaram a ser quebrados e desaparecidos, fazendo com que Gene culpasse Robert por tais ações.

Assustados, os pais trancaram Robert no sótão para que ele fosse esquecido. Depois que os pais de Gene morreram, o garoto recuperou o boneco do sótão e continuou a cuidar dele, mesmo depois de já ser adulto – relatos dizem que os dois jantavam juntos todas as noites. Depois da morte de Gene, Robert foi entregue ao museu da cidade, dado as circunstâncias esquisitas que envolviam sua história.

2 – Poltergeist e os antigos romanos
Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

O icônico filme “Poltergeist”, de Steven Spielberg, fez bastante sucesso quando foi lançado em 1982, trazendo um grupo de familiares que moravam em uma casa que esconde um segredo terrível – e que por isso possui espíritos e manifestações paranormais. Por mais que casas assombradas sejam algo relativamente comum em filmes de terror, é interessante notar que elas tiveram origem há séculos atrás, mais especificamente com os antigos romanos.

Escritos romanos antigos que datam ao início do século um revelam que casas assombradas por espíritos existem há mais dois mil anos por aí. Um escritor chamado Pliny, conhecido como “O Novo”, foi responsável por escrever um relato de algo muito estranho que ocorreu quando um filósofo se mudou para o vilarejo onde Pliny estava vivendo.
A típica casa mal-assombrada

O filósofo foi informado de um casarão antigo e barato, que as pessoas não moravam por julgar estar abandonado. Sem opções, o homem optou por viver em tal lugar temporariamente. Relatos dizem que o filósofo acordou de noite com o som de correntes arrastando pelos corredores e gemidos fantasmagóricos. O fantasma de um homem com uma longa barba apareceu na frente dele, fazendo gestos para que o filósofo o seguisse.

No jardim do casarão, o fantasma apontou um local. No dia seguinte, o filósofo desenterrou o espaço indicado e encontrou o corpo de um homem acorrentado. Depois de dar um enterro próprio para o desconhecido cadáver, Pliny escreveu que o casarão deixou de ser assombrado. E essa história foi escrita há aproximadamente dois mil anos! Realmente, parece que as histórias de casas assombradas não são mesmo mais originais...

3 – Suicídios em série e a música Gloomy Sunday
Fonte da imagem: Reprodução/DevianArt

Os filmes japoneses “Clube dos Suicidas” e “A Música do Suicídio” possuem algo em comum: ambos falam de músicas que estimulam as pessoas a cometer suicídio, como se fossem algo hipnótico. Esses dois filmes são extremamente parecidos e por mais que você pense qual está copiando qual, saiba que eles tiveram uma mesma inspiração: a música “Gloomy Sunday”, do cantor húngaro Rezso Seress – que também cometeu suicídio.

Nós já detalhamos esse caso no Mega Curioso, como você pode conferir aqui. A história real dessa música diz que ela foi responsável pelo suicídio de mais de 100 pessoas que se mataram em diferentes situações, porém todas estimuladas pelos sons da música sinistra. 

A música é de 1930 e se tornou rapidamente popular na Hungria, que também é o país com um dos maiores índices de suicídio do mundo. Se a música realmente possui um poder sobrenatural ou não nós não podemos afirmar, porém é certo que o conteúdo dela é bastante fúnebre.

4 – O Apocalipse Zumbi e os escritos mesopotâmicos
Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

É certo que o Apocalipse Zumbi não é algo exatamente original, já que inúmeros filmes, séries, livros e jogos já trataram exaustivamente do tema – ainda mais hoje, quando os zumbis estão na moda. Contudo, esse fim do mundo repleto de mortos-vivos é um conceito muito mais antigo do que você pode imaginar (mais especificamente, com quatro mil anos de idade), originado nas crenças e lendas mesopotâmicas.

Na “Epopeia de Gilgamesh”, um dos mais antigos poemas da Mesopotâmia, há um trecho em que Ishtar, deusa do amor, da fertilidade, da guerra e do sexo (uma combinação um tanto excêntrica), é rejeitada por Gilgamesh. Como vingança, ela ameaçar lançar um exército de mortos-vivos sobre o mundo. “Eu deixarei os mortos subirem à Terra e comerem os vivos, e os números de mortos superará o número de vivos”, dizem algumas das frases do poema.

Pois é, parece que quase todos os filmes e histórias de terror se baseiam de algum modo em aspectos do mundo real, sempre caprichando em determinados pontos para deixar as histórias mais sinistras. 

De qualquer jeito, que bom que os casos mencionados nunca foram exatamente comprovados ou aconteceram como profetizados (bem, o Apocalipse Zumbi ainda pode acontecer qualquer dia desses). E você, conhece outras histórias do mundo real que podem ter influenciado a ficção dos filmes de terror?

AUTOR: Cracked

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE

Todos os comentários postados neste Blog passam por moderação. Por este critério, os comentários podem ser liberados, bloqueados ou excluídos. O MUNDO REAL 21 descartará automaticamente os textos recebidos que contenham ataques pessoais, difamação, calúnia, ameaça, discriminação e demais crimes previstos em lei. GUGU

VEJA TAMBÉM Plugin for WordPress, Blogger...

ME SIGA NO TWITTER!